Descobri que meu marido é gay, e agora oque faço?

Nosso portal, é na verdade um portal voltado para o público gay, mas não podemos deixar de nos manifestar diante de uma realidade cada vez mais presente nos lares.
Mesmo sendo um portal gay, as mulheres deviam ler esse artigo, e pensar duas vezes antes de sairem citando a bíblia ou o diabo como fim para os homossexuais.
Eu mesmo, tenho minha opnião formada com a prática dos goys, homens que se casam com mulheres e mantem um namorado homem fora do casamento.
As pessoas tem que aprender que assumir sua sexualidade é virtude e não vergonha, e quem não gostar que se f#$@, porque pessoa bem resolvida, amada e inteligente não perturba a vida alheia pois tem oque fazer, geralmente quem fica em rede social ou mesmo na rua práticando crimes de homofobia ou outros, são na verdade pessoas desocupadas, e sem cultura.
Mas voltando aos fatos do artigo abaixo do portal "estilo" do uol, leia e tire suas conclusões, você que pratica crimes de homofobia pode estar casada com um goy, e isso acontece também com mulheres, assumir suas condição sexual é motivo de orgulho, pois viver para a sociedade e morrer a cada dia...
"Homens casados contam por que mantêm relacionamentos gays.
A vontade de ter filhos impulsiona alguns homens, mesmo sendo gays, a se casarem com mulheres...
imagem: Getty Images
Yannik D´Elboux
Colaboração para o UOL, no Rio de Janeiro

“Namorei cinco anos um amigo da família, que morava perto, mas minha mulher nunca soube”, conta Pedro*, 50, vendedor de uma multinacional, casado há 25 anos e pai de duas filhas, de 18 e 21 anos.
Apesar de se reconhecer como homossexual, ele mantém o casamento para não prejudicar a vida que estabeleceu, inclusive profissional, e por medo de magoar as filhas. “Não sei se conseguiria encará-las.”
Poucos sabem da vida dupla de Pedro.

Avesso à exposição e ao mundo gay, ele confessa que é preocupado demais com o “que os outros vão falar”.
Para satisfazer seus desejos, o vendedor teve relacionamentos discretos com outros homens ao longo dos anos. Com o rapaz com quem namorou por cinco anos, que também era noivo de uma mulher na época, Pedro tinha o disfarce perfeito para a família. Os dois trabalhavam no mesmo segmento e viajavam juntos para atender clientes.
Apesar de conseguir acomodar vidas paralelas, Pedro revela o desgaste de ter de mentir. “É cansativo ter dois papéis, porém, no momento, prefiro manter como está”, fala.
A angústia de esconder a orientação sexual da mulher por anos foi o que levou o gerente executivo Fabrício*, 31, a revelar a verdade. Há cinco anos, após dez de casamento, ele contou para ela que é bissexual e que se relacionava sexualmente com homens. “Achava que era um direito dela saber se era isso mesmo que queria para a vida dela.”
Fabrício tinha certeza de que essa revelação custaria o fim do casamento. Porém, ele não suportava mais se esconder. “Para minha surpresa, ela disse que isso não era um empecilho para manter nossa relação”, conta.
“Hoje estou extremamente feliz e resolvido com minha mulher, só falta contar para minha filha”, diz o gerente, pai de uma menina de 12 anos.
Desejo de família e paternidade
Existem muitos fatores que levam homossexuais a se envolverem em um casamento heterossexual.

Alguns experimentam desejos homoafetivos na adolescência, contudo, às vezes, demoram a se perceber como gays.
“Muitos se casam porque se apaixonam por uma mulher e só mais tarde vem a certeza de que são homossexuais, porém já vieram os filhos e eles não querem desmanchar o casamento”, declara a psicóloga Vera Moris, professora e pesquisadora da PUC (Pontifícia Universidade Católica) de São Paulo, coordenadora do
Homopater , grupo de apoio e orientação a homens e pais em relacionamentos homoafetivos.

A vontade de ter filhos também impulsiona alguns homens, mesmo sendo gays, a se casarem com mulheres.
O modelo heteronormativo aparece na cabeça de muitos como único caminho possível para realizar o sonho de ter uma família.
Depois de casados, os que se sentem infelizes nem sempre terminam a relação por temerem perder o vínculo com a família, por isso acabam optando por uma vida dupla. “Eles sentem medo de fazer mal aos filhos e de serem rejeitados”, diz Vera.
Autoaceitação e separação
Não conseguir encarar a própria bissexualidade foi o que fez com que Fabrício adiasse a conversa com a mulher sobre sua orientação sexual. Apesar de ter tido experiências homossexuais na adolescência, por motivos religiosos, ele não lidava bem com sua sexualidade.

“Não estava confortável comigo mesmo, só depois que aceitei minha bissexualidade me senti pronto para dividir com ela”, fala.
Mesmo sem coragem de contar para a mulher sobre sua homossexualidade, Pedro pretende se separar. “Quero morar sozinho, ter mais liberdade, a família que eu queria já tenho. Meu maior erro foi não ter me permitido ter relações sexuais antes do casamento”, diz o vendedor, que se casou virgem.

Segundo Vera, existem homens que levam uma vida dupla por bastante tempo e o processo de separação é lento, entretanto, quase sempre acontece. “A orientação sexual não é uma escolha, não tem como fugir, tem de enfrentar”, afirma.
*Nomes trocados a pedido dos entrevistados."
Fonte do Artigo:
http://estilo.uol.com.br/comportamento/noticias/redacao/2016/05/20/homens-casados-contam-por-que-mantem-relacionamentos-gays.htm?cmpid=fb-uolent
ARTIGO LEGAL:
"Art. 46. Não constitui ofensa aos direitos autorais: III - a citação em livros, jornais, revistas ou qualquer outro meio de comunicação, de passagens de qualquer obra, para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor e a origem da obra"

"as imagens deste blog são retiradas da internet, se quiser credito pela autoria ou quiser que remova, é só entrar em contato conosco”

Artigo: Antônio S.

ASSUNTOS RELACIONADOS

Compartilhe Agora!

Related Posts

Deixe seu comentário, é um prazer para nós saber sua opinião!
OBS: Os comentários deixados no nosso site por leitores não reflete nossa opinião, portanto não somos responsáveis pelos mesmos.

Nos reservamos ao direito de eventuais erros em nossas postagens, deixe seu comentário e corrigiremos!

Comentários homofóbicos, racistas, agressivos ou intolerantes não serão aprovados.