Conto erotico gay - O peão da fazenda.


Em 2007 quando perdi meu pai, tive que assumir a fazenda, fazenda essa que ninguém queria trabalhar nela, pois era 200 quilômetros da cidade, então encontrar um peão era bem complicado.
Mas como eu não daria conta da fazenda sozinho, coloquei um anúncio no jornal, apareceu apenas um interessado, um cara de 29 anos, parrudo e bem moreno, disse que se eu garantisse um ano de trabalho ele iria.

Assim fizemos, dois meses que ele estava la, tirei férias, e fui para a fazenda, queria garantir que a fazenda estivesse sendo cuidada corretamente pelo peão Pedro.
Naquela quarta feira, acordei as 5 da manhã acompanhei Pedro tirar o leite, ajudei a fazer a entrega e passamos o dia verificando a cerca!
A noite chamei Pedro para jantar, afinal apesar de Pedro estar a dois meses na fazenda sozinho na fazenda, resolvi chama-lo prá jantar pois veria um filme que eu havia levado.

A noite estava tranquila, jantamos, coloquei o filme, e colocamos as cadeiras na varanda de frente prá porta e desligamos as luzes, o filme estava bom, mas percebi que Pedro estava inquieto, eu já sabia que ele era meio calado, mas percebi que ele queria falar alguma coisa e não tinha coragem.
Em determinado momento percebi que ele estava excitado, ele estava com uma camiseta cavada e um short de tecido fino, e dava pra ver perfeitamente o volume cilindrico do pau, que inclusive imaginei ter uns 18 a 19 cm, de repente ele deu uma apalpada na mala, e disse:
-Não me leva a mal, mas não tem um pornosinho ai prá gente se animar um pouco!
-Sim, tem sim, não gostou do filme?
-Sim, sim, mas to com vontade de cortar uma, entendeu?

Me levantei, e coloquei um filme porno, coloquei um hétero lógico, um de uma loira que pegava o motorista.


Após 10 minutos de filme Pedro aperta a mala, e diz:
-Bora bater uma?
E tira a camiseta e short e fica completamente pelado ali do lado.
-Pode bater também eu não ligo não!

Eu fiquei muito sem graça, sou muito discreto, mas não sabia até onde ele curtia ou não, e se ele sabia que sou gay.
Olhei disfarçadamente para o pau dele, um pau de uns 18cm meio grosso e reto, Pedro era uma delicia, ele so tinha pelos nas pernas, e como era parrudo era uma delicia, pernas grossas...

Para a minha surpresa Pedro me diz que eu não precisava ficar com vergonha, que eu podia bater punheta também.
-Perai, deixa eu te ajudar...
-Nossa cara que delicia, não sabia que você curte!
Isso mesmo, Pedro pegou no meu pau, tirou prá fora, e começou a chupar, eu não sabia oque fazer, aquele macho delicioso que eu achava ser hetero estava ali me chupando...

-Chupa vai, nossa que delicia...
Pedro me chupava deliciosoamente, sem sugar forte, mas aqueles lábios carnudos deslizavam no meu pau de uma forma que me deixava louco, aquela boca quente e aquela língua molhadinha...

De repente Pedro para de me chupar e vai para a cadeira do lado e sobe na cadeira ficando de quatro só pra mim.
-Vem ca vem, me fode! Me coloquei de pé e segurando só na cintura dele, enterrei meu pau todinho naquele cuzinho apertadinho e quente.

-Isso, vem, mete, fode seu negão vem, ai assim, vai, mete bem forte.
Eu estava surpreso, mais estava adorando aquela bunda quase virgem, e que eu metia cada vez mais forte.
-Para, para, para.
-Oque foi?
-Minha vez!


Pedro se sentou, e me virou, me abaixou, e comecei a chupar aquela rola gostosa, mas quando senti aquela língua invadir meu cusinho, ele chupava gostoso demais, e tentava enviar a linha no meu cu, eu estava muito louco de tesão, foi o 69 mais inusitado que fiz.
-Vem, quero sentir esse cu todinho ma minha rola!
Ele me virou e sentei naquela pica gostosa, Pedro mordia meu peitoral, chupava meus mamilos, massageava meu pau e eu delirava de prazer.

De repente ele se levanta comigo no colo, me encosta na parede.
-Vamos gozar, vamos!

Enquanto ele metia cada vez mais forte, me beijava e punhetava meu pau eu só gemia e já estava entregue à aquela transa, e só esperava a hora de gozar.

Até que pedro começou a gemer ofegante, me desceu para o chão e pega meu pau e o dele nas mãos e foi punhetando e gemendo cada vez mais, não aguentei de tanto tesão e esporrei nele, na mão dele, e na barriga dele, e ele só olhou em mim, fez ar de rir e fechou os olhos, quando olhei para baixo vi a porra quente daquele gostoso na minha barriga!
Ao terminar de gozar nos beijamos por alguns minutos e fomos para o banho nos lavar...
(Continua)


OBS: Use sempre preservativo, cuido do bem mais precioso que você tem, que é a sua vida!

Compartilhe Agora!

Related Posts

1 comentários:

comentários

Deixe seu comentário, é um prazer para nós saber sua opinião!
OBS: Os comentários deixados no nosso site por leitores não reflete nossa opinião, portanto não somos responsáveis pelos mesmos.

Nos reservamos ao direito de eventuais erros em nossas postagens, deixe seu comentário e corrigiremos!

Comentários homofóbicos, racistas, agressivos ou intolerantes não serão aprovados.