Conto erotico gay - Meu colega da escola

Em 2005 nos mudamos de estado, eu estava no segundo ano do ensino médio, eu estava com 16 anos, no início eu fiquei meio de canto, afinal não conhecia ninguém.
Logo um garoto chamado Luís se aproximou de mim, e nos tornamos amizade de uma semana pra outra.

Luís era adorável comigo, me ajudava na adaptação, me paparicava pagando lanche todos os dias para nós dois, e sempre me convencia a passar na casa dele com alguma desculpa.

Luís tinha 16 anos, e sempre percebi que ele forçava sempre para que eu estivesse muito próximo dele, e notei que ele sempre forçava a barra para eu passar na casa dele todos os dias após a aula e que sempre trocava de roupa na minha frente, eu sempre disfarçava mas ficava meio sem graça, afinal mesmo só com 16 anos, Luís já tonha 1.80 de altura, e por ser jogador de basquete tinha um par de pernas bem trabalhadas, grossas, a bunda então era empinada, bem trabalhada, sempre que eu tinha oportunidade dava uma olhada de rabo de olho quando ele estava trocando de roupa e parecia linda.

Luís morava com a mãe, avó e uma prima, e depois que essa prima começou a trabalhar tudo mudou, ele ficava sozinho em casa a tarde toda.
Nunca irei me esquecer daquela quinta feira, Luís chegou ao termino das aulas me disse que não iria me chamar pra passar na casa dele naquele dia pois tinha algo importante para fazer, mais que eu fosse na casa dele as 14 horas sem falta, ele precisaria muito da minha ajuda.
Sem entender nada fui para a casa dele as 14, quando cheguei passei direto no portão que estava só encostado, quando bati na porta ele abriu e já percebi um olhar desconfiado, e ao mesmo tempo de safadeza.

Me incomodou muito o fato dele estar sem camisa, e com um short de malha justo, e visivelmente sem cueca, a marca do pau dele tava gritando a metros de distância.

-Entra, peguei um trabalho para digitar e preciso de sua ajuda!
-Minha, ajuda, em que?
-É porque consigo digitar rápido, mas se eu for ler pra digitar ai fico lento, quero que leio pra mim.

Na hora não entendi muito, mas comecei a ler o tal trabalho, depois de uns 20 minutos terminamos, ele virou a cadeira abraçou minha cintura e agradeceu, e disse que ia tomar água.
Quando voltou assim que se sentou pediu que eu fizesse uma massagem no ombro dele, eu fiz, e ele ficou de pau duro.

-Ta vendo oque suas mãos fizeram comigo?
-Ai ai!
-Sério, vo te fazer pagar um boquete.
-Doido é?
-Meu sonho é sentir uma boquinha quentinha, molhadinha chupando minha pica.
-Sei.

Dai alguns minutos fomos lanchar, mas ele sempre com umas brincadeiras suspeitas, na cozinha ele me pediu pra fazer os sanduiches e ficou do lado, até que pegou na minha bunda...
-Ei!
(Risos)
-Nossa, durinha!
-Vem aqui.
-Eu não, você com essa faca na mão...
-Vem aqui, garanto não vo fazer nada!
-Hum.
-Me da aqui sua mão.
-Prá que?
-Confia ou não?


Eu estava com um short de elástico, fiquei bem próximo dele, quase encostado, peguei a mão dele e coloquei dentro do meu short...
-Você não queria pegar, tem 10 segundo prá isso.
Ele ficou apenas me olhando, mas pegou...
-Sai, chega.

Ele não disse nada, ficou muito sem graça, dai lanchamos e ele sempre me olhando com um olhar desejo, eu como já queria ele, ja tinha ido preparado, banjo tomado, todo pronto e cheiroso...
Aproveitei aquele momento do lanche para a troca de olhares, dai brinquei depois passando o pé na perna dele...

-Para com esse pé seu, já falei, se eu ficar de pau duro vo te por prá realizar meu sonho.
Como eu estava mesmo a fim, encostei o pé no pau dele e dei uma massageada rápida.
-Para moço!
-Não tem perigo não, esse trem seu não sobe mais não.

-Não né, pois se ficar duro você além de chupar vai ter que dar o cu prá mim.




Fiquei na minha e dali alguns minutos após arrumar nossa bagunça na cozinha fomos para o quarto dele, pois ele arrumou uma desculpa de me mostrar as medalhas dele, eu perto dele, olhando as medalhas e vendo que ele me olhava.

-Que perfume é esse?
-Gostou?
-Seu cheiro é bom!
-Vai acostumando, quando a gente casar você já sabe identificar o cheio do seu macho.
-Você é safado em?
-Você não é?
Eu já estava com a respiração alterada pois meu pau latejava dentro do short, mais fiquei com mais tesão pois olhei nos olhos dele e ele sorriu, que olhar perfeito, acho que não faltava muito e eu me apaixonaria por aquele garoto.

Na verdade acho que ele estava bastante incomodado como eu, me deixou com a caixa nas mãos e encostou na parede com uma das pernas flexionadas com o pé apoiado na parede.
-Muito bonitas, mas tenho que ir embora, tenho mais meia hora pra ficar aqui mais quero ir pra casa mais cedo.
-Já, fica mais.
-Sério Luís, tenho que ir.
-Então vem cá deixa eu te dar uma abraço de agradecimento por ter me ajudado.


Abracei ele e naquele momento acho que eu já tinha perdido completamente o domínio do meu corpo, só estava na dúvida se eu fazia uma besteira naquela hora ou deixava para outro encontro, mais não tinha outro dia, quando o abraço terminou que olhei na cara dele, ele estava muito sem graça, dei um passo para trás e olhei para baixo, ele estava de pau duro, mais o danado do pau estava apontando pra lua...
-Ah, esqueci de dizer so uma coisa, vo falar baixo pra ninguém ouvir!
-Oque?
-Isso tudo é pra mim.
-Você é doido?
-Solta minha mão...solta, deixa eu ver oque é que tem aqui!
Ele soltou minha mão, eu sentia mesmo com o tecido entre minha mão e o pau dele que o pau dele latejava.

Olhando nos olhos dele que ao mesmo tempo pedia para que eu fosse em frente e ao mesmo tempo não sabia oque fazer, eu puxei o short dele com uma mão e com a outra peguei o pau dele e ainda olhando.nos olhos dele fiquei massageando lentamente.
-É esse pauzão aqui que você tava me escondendo?
Ele não conseguiu responder nada, apenas mordeu os lábios, mais eu sabia como amarrar aquele cara na minha.

Simplesmente abaixei o short dele até o chão e tirei, acho que ele pensou qualquer coisa, menos oque eu ia fazer, eu de joelhos ali na frente dele, massageando aquela rola dura como rocha que latejava de tesão nas minhas mãos, eu só olhei fixamente nos olhos dele e passei a língua na cabeça do pau dele, e continuei olhando nos olhos dele por uns 10 segundos, e fui lentamente colocando o pau dele na minha boca.
Lembro como se fosse agora, quando coloquei o pau dele todo na.boca ele fechou os olhos e deu um misto de suspiro com gemido.
E fui chupando ele, e ele de olho fechado só gemendo, fiquei ali naquela posição uns 5 minutos chupando ele, depois comecei a lamber os testículos dele, e subir até a cabeça e chupava novamente, em determinado momento ele segurou minha cabeça e começou foder minha boca.
Dai parei de chupar ele, e tirei as mãos dele.da minha cabeça.

-Para não Mau Mau, deixa eu gozar, deixa.
-Você quer?
-Nossa demais, pega aqui pra você ver, to morrendo de tesão.
-Eh, mais eu não quero.
mais chupar!
-Por favor, deixa eu gozar, boquete é bom demais, eu vo ficar louco...
-Vem!
-Que isso, solta.
-Você ta doido.
-Calma, vo te fazer gozar.
Luís ficou muito assustado quando joguei ele na cama completamente pelado, pisei no pau dele, e ele se assustou mais ainda...

-Ou, você tá doido,  ai me machucar.
-Relaxa, tira a mão, confia, é so o começo!

Para um garoto de 16 anos que estava experimentando o primeiro boquete ele toparia tudo para gozar.
E assim eu fiz, empurrei ele como pés, e ele se deitou, ficou só com os pés no chão e olhando para mim que estava de pé.

Foi então que lentamente tirei minha roupa, quando tirei minha cueca que ele viu meu pau completamente duro acho que ele teve medo.
Me deitei sobre ele e fiquei punhetando lentamente nossos paus um encostado no outro.

-Te faço gozar como nunca gozou, mais tem pedágio.
-Oque você quer, só me faz gozar.
Me aproximei dele e começamos a nos beijar, foi um beijo lento, demorado e muito bom, poucas vezes experimentei um beijo tão gostoso.
Desci novamente até o pau dele e comecei a chupar, ele gemia muito, e apoiava a mão na minha cabeça.
-Oque foi agora, porque parou, por favor ,e faz gozar!


Olhando nos olhos dele me levantei, e fui até a cômoda dele e como não encontrei nada para usar como lubrificante peguei um condicionador, passei bastante no pau dele, e no meu cuzinho, e me posicionei, e fui sentando lentamente naquela pica gostosa, e olhando nos olhos dele que silenciosamente suplicava por um gozo, e fui lentamente cavalgando naquela piroca, até ficar num ritmo bom.
-Me da sua mão.
Luís, estava meio paralisado com tudo oque estava acontecendo, coloquei ele pra me punhetar enquanto eu cavalgava naquela rola gostosa.
-Vem, vamos mudar de posição!
-Qual você quer?
Quero sentir você me foder!

Me encostei na parede de lado, levantei uma perna que sem dizer nada ele segurou com uma mão e se aproximou e enfiou aquela pica em mim, e rapidamente começou meter forte.

-Vem, assim, vai mete seu safadinho.
-Nossa, que delicia.
E punhetando meu pau ele seguiu me metendo gostoso no meu cusinho e me beijando na boca.
Eu sabia que ele não aguentaria muito, mais eu já estava satisfeito, tinha conseguido pegar aquele leke gostoso.

Uns 5 minutos depois ele disse que ia gozar, eu pedi ele pra parar pois eu queria chupar ele pra ele gozar.
-Mas não goza na minha boca!


Acho que não foi nem dois minutos chupando e ele tirou a rola da minha boca e molhou meu peitoral todo de porra, em seguida aproveitei e pedi ele pra me chupar, meio sem graça ele se ajoelhou na minha frente e me chupou, eu também não aguentei muito e molhei o rosto, peitoral, braços com longos jatos de porra....
E assim foi aquele dia maravilhoso que terminou com um banho que tomamos em silêncio...
-Você já vai?
-Sim, demoramos muito.
-Me da um beijo!
...
-Tchau!
-Tchau, te espero amanhã aqui as 14...

Fonte das fotos: Web
Artigo: Antônio S.



http://www.hotsafados.com/p/aumento-peniano-como-aumentar-meu-penis.html

Compartilhe Agora!

Related Posts

Deixe seu comentário, é um prazer para nós saber sua opinião!
OBS: Os comentários deixados no nosso site por leitores não reflete nossa opinião, portanto não somos responsáveis pelos mesmos.

Nos reservamos ao direito de eventuais erros em nossas postagens, deixe seu comentário e corrigiremos!

Comentários homofóbicos, racistas, agressivos ou intolerantes não serão aprovados.